"Deus ande em tua frente para te conduzir, atrás de ti para te proteger e ao teu lado para te acompanhar!"


Você é o visitante de nº

Paróquia Ressurreição do Senhor

sexta-feira, 30 de julho de 2010

MISSA DAS CRIANÇAS


Acontecerá neste domingo (01.08), às 17 h, mais uma missa das crianças, celebrada por Pe. Geraldo. Levem suas crianças, pois a evangelização deverá começar desde pequenos!

"Mas Jesus, chamando-as para si, disse: Deixai vir a mim os pequeninos e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus.Em verdade vos digo que qualquer que não receber o Reino de Deus como uma criança não entrará nele." Lucas 18, 16-17

VENHA PARTICIPAR DA VIGÍLIA DA TRANSFIGURAÇÃO



"Reencantando a Vida com Teresa de Jesus" é o tema da Vigília da Transfiguração 2010 e é mais uma oportunidade para estarmos aos pés do Senhor, silenciando para escutá-Lo. Acontecerá em toda a cidade.
A Vigília na Igreja da Ressurreição do Senhor - Ondina,terá o inicio no dia 07/08 às 21:00h, (coordenada por Janice), até as 05:00 da manhã,depois haverá o encerramento com a celebração da santa Missa as 06:00h no Carmelo da Bahia no bairro de Brotas. Participe da experiência inédita da convivência com o Deus da Paz.Tenha uma semana feliz.

O roteiro foi elaborado pelo Movimento da Transfiguração e pode ser baixado por quem quiser realizar a vigília em sua comunidade, paróquia, movimento, etc.

Veja aqui o artigo sobre Transfiguração.

Fonte Imagem: http://www.snpcultura.org/fotografias/vol_transfiguracao_rafael_detalhe.jpg

TRANSFIGURAÇÃO


A Transfiguração de Jesus na Bíblia é uma passagem descrita nos Evangelhos sinópticos em que Jesus subiu a um monte para orar com Pedro, Tiago e João. Ali, tendo mudado sua aparência a ponto de tornarem brancas as suas vestes, os discípulos tiveram a visão de que Jesus estivesse conversando com os profetas Moisés e Elias.


De acordo com o relato contido no Evangelho segundo Mateus, capítulo 17, versículo 2, consta que o rosto de Jesus resplandecia como o Sol, e a suas vestes tornaram-se brancas como a luz.


Esta curiosa passagem é também comentada pelo próprio Pedro, em sua segunda epístola nos versos de 17 a 18 de seu primeiro capítulo, havendo nestas quatro fontes o testemunho de uma voz que confirmava ser Jesus o Filho de Deus, conforme o relato dos Evangelhos sinópticos (Mt 17:5-6, Mc 9:7 e Lc 9:35).

Em consonância com o segredo messiânico, Jesus diz às testemunhas para não contar a visão a ninguém, até que o ele, o Filho do Homem, ressuscite dentre os mortos.


Transfiguração de Jesus, como é narrada nos Evangelhos


E aconteceu, porém, que, seis dias depois destas palavras, Jesus tomou Pedro, Tiago e João, seu irmão, conduziu-os e subiu a um alto monte, consigo, a sós, para orar. E enquanto ele orava, a aparência do seu rosto tornou-se outra e a sua roupa, branca, refulgente: Ele transfigurou-se diante deles e o seu rosto resplandeceu como o sol; e as suas roupas, porém, tornaram-se resplandecentes, extremamente brancas, como a luz, como nenhum lavadeiro sobre a terra as pode tornar tão brancas.


E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, e estavam a falar com Jesus, os quais, tendo aparecido em glória, falavam da saída dele, que estava para cumprir-se em Jerusalém. Pedro e os que estavam com ele estavam acabrunhados pelo sono. Despertando, porém, viram a sua glória e os dois varões que estavam de pé com ele. E aconteceu que, quando se afastavam dele, Pedro respondendo, disse a Jesus: "Rabbi (Chefe), é bom nós estarmos aqui; e façamos três tendas! Se queres, farei aqui três tendas: uma para ti, uma para Moisés e uma para Elias"; não sabendo o que dizia. E ainda ele falava, dizendo estas coisas, eis que se fez uma nuvem luminosa e os cobriu e atemorizaram-se. E eis que da nuvem se fez uma voz, dizendo: "Este é o meu Filho amado, o eleito, no qual me agradei. Ouvi-o". E os discípulos, ouvindo, caíram com a sua face por terra e tiveram grande medo.

E, tendo soado aquela voz, Jesus encontrou-se só. Jesus aproximou-se e, tocando-os, disse: "Levantai-vos e não temais!" Erguendo, porém, os seus olhos, e, de repente, tendo olhado em redor, não viram mais ninguém, senão o próprio Jesus só com eles. E enquanto eles desciam do monte, Jesus ordenou-lhes que a ninguém narrassem o que tinham visto, até que o Filho do Homem ressuscitasse dos mortos, dizendo: "A ninguém digais a visão, até que o Filho do Homem ressuscite dos mortos!"


Fonte imagem: http://www.duc-in-altum.com.br/transfig2.jpg

terça-feira, 27 de julho de 2010

FESTA DE SANTO AFONSO


No dia 1º de Agosto celebramos a Festa de Santo Afonso Maria de Ligório (1696-1787), bispo e Doutor da Igreja. Para continuar a missão de Jesus, anunciando a Boa Nova aos mais abandonados, fundou a Congregação do Santíssimo Redentor, ou Missionários Redentoristas, a qual pertencem os padres responsáveis pela Paróquia Ressurreição do Senhor.
Santo Afonso nasceu próximo a Nápoles, Itália, filho de uma família nobre. Tornou-se um grande advogado, mas abandonou a carreira jurídica, sendo ordenado sacerdote aos 30 anos. Como padre, desenvolveu várias missões entre os mendigos da periferia de Nápoles e camponeses. Criou as “Capelas da Tarde” incentivando leigos a ajudar na obra da evangelização. Com 66 anos, tornou-se bispo.
Santo Afonso contribuiu com a Igreja na área da reflexão teológica moral. Ele resgata a grandeza e dignidade da pessoa humana, o respeito à consciência moral e a confiança na misericórdia divina.
Foi canonizado em 1839, declarado Doutor da Igreja em 1871, Padroeiro dos moralistas e confessores em 1950. É sua a citação célebre: "Quem reza se salva, quem não reza se condena".

Santo Afonso Maria de Ligório, rogai por nós!

Fontes de Pesquisa: Internet (sites Redentoristas)
Imagem: www.cssr.com/

PROGRAMAÇÃO

Tríduo Preparatório:


1º dia: Quinta-feira, 29/07 às 18h na Igreja Matriz (Ondina).
Tema: Santo Afonso, amante da Eucaristia.

2º dia: Sexta-feira, 30/07 às 18h na Igreja Matriz (Ondina).
Tema: Santo Afonso, homem de Oração.

3º dia: Sábado, 31/07 às 18h na Igreja Matriz (Ondina).
Tema: Santo Afonso, devoto de Nossa Senhora.


Festa:

Domingo, 1º de Agosto às 10h na Igreja Matriz (Ondina) - Paróquia Ressurreição do Senhor.

Missa Solene e Renovação dos Compromissos Missionários dos MRL - Missionários Redentoristas Leigos de Salvador.
Tema: Santo Afonso, homem de Missão.

Imagem: CMR - Centro Missionário Redentorista

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Dia dos Avós


Dia 26 de julho é Festa de São Joaquim e Santa Ana, pais de Nossa Senhora. É também o Dia dos Avós.

Você já experimentou observar amorosamente a árvore de sua família, a seiva que lhe dá vitalidade, as flores e frutos que ela produz e imaginar as raízes que lhe dão sustento?

Em sua memória, em cartas e cartões guardados, em álbuns de fotos ou, quem sabe, ainda bem próximo de você, há quatro pessoas que acumulam sabedoria e ternura, carinho e compreensão e têm muitas histórias para contar.

São os avós, pessoas que, revendo o passado com gratidão e abraçando o presente com serenidade, ajudam a vislumbrar o futuro para seus filhos e netos. Essas pessoas queridas, depois de percorrem tantos caminhos e já colhendo os frutos do seu trabalho e amor... de repente, deparam-se com nova onda de vitalidade, à medida que, rebentos de uma nova geração, os netos, reacendem nos avós o gosto pela vida e a lembrança do tempo de infância.

Mesmo com algumas carências próprias da idade, os avós têm lugar especial na vida dos netos, pois são amigos maduros, livres e criativos, afetuosos e compreensivos.

Experimente pedir a eles para contarem histórias do tempo em que tiveram que criar e educar seus filhos. Converse com eles e descobrirá tantos detalhes curiosos que irão enriquecer sua história. Faça anotações, gravações, fotos. Chegará o tempo em que, depois de percorrer o mundo, as rodas de amizades, você voltará a atenção para a história de sua família, que é a sua história. Qual uma colcha de retalhos, a vida foi se ajeitando aos poucos. Entre choros e abraços, a vida foi criando seus laços, legando experiência, valores e uma cultura tão própria da família.

Você conhece as canções de ninar que acalentaram e embalaram seus pais? Que tal pedir para seus avós cantarem para você? Se esse seu desejo for agora apenas uma lembrança, uma prece, que Deus acolha seu recado e sua saudade.

Parabéns aos nossos amigos maduros, cheios de escuta e compreensão - nossos avós - cujo dia é celebrado em 26 de julho, lembrando São Joaquim e Santa Ana, pais de Maria, Mãe de Jesus!

Ir. Zuleides M. de Andrade, ASCJ

Fonte: Paróquia Senhor dos Passos
Imagem: Google Imagens

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Festa de São Cristóvão


Dia 25 é dia de São Cristóvão e também considerado Dia do Morotista.
São Cristóvão é o protetor dos motoristas e dos viajantes. Viveu provavelmente na Síria e sofreu o martírio no século III. "Cristóvão" significa "Aquele que carrega Cristo" ou "porta-Cristo". Seu culto remonta ao século V. De acordo com uma lenda, Cristóvão era um gigante com mania de grandezas. Ele supunha que o rei a quem ele servia era o maior do mundo. Veio a saber, então, que o maior rei do mundo era Satanás. Colocou-se pois, a serviço deste. Informando-se melhor, descobriu que o maior rei do mundo era Nosso Senhor. Um ermitão mostrou-lhe que a bondade era a coisa mais agradável ao Senhor. São Cristóvão resolveu trocar a sua mania de grandeza pelo serviço aos semelhantes. Valendo-se da imensa força de que era dotado, pôs-se a baldear pessoas, vadeando o rio. Uma noite, entretanto, um menino pediu-lhe que o transportasse à outra margem do rio. À medida que vadeava o rio, o menino pesava cada vez mais às suas costas, como se fosse o peso do mundo inteiro. Diante de seu espanto, o menino lhe disse: "Tiveste às costas mais que o mundo inteiro. Transportasse o Criador de todas as coisas. Sou Jesus, aquele a quem serves".

ORAÇÕES DO MOTORISTA

"Senhor, que dissestes: "Quem vos recebe, a mim recebe"; e mais: "Quem não toma a sua cruz e me segue, não é digno de mim", fazei com que o bem-aventurado mártir São Cristóvão aumente em nós o amor de vosso nome e tenhamos a felicidade de ver-nos em nossos irmãos no caminho da vida. Amém".

"Dai-me Senhor, firmeza e vigilância no volante, para que eu chegue ao meu destino sem acidentes. Protegei os que viajam comigo. Ajudai-me a respeitar a todos e a dirigir com prudência. E que eu descubra vossa presença na natureza e em tudo o que me rodeia. Amém".

http://www.blogger.com/www.comamor.com.br/cristovao.htm

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Nova evangelização cultural e digital



Entrevista com o jornalista Vincenzo Grienti

Por Antonio Gaspari

Nos últimos 15 anos, a tecnologia telemática revolucionou o mundo da informação e da comunicação.
As mudanças introduzidas têm também influenciado a Igreja católica, que se mantém atenta às inovações no campo da comunicação social.

Para tratar da questão da relação da Igreja católica com estas tecnologias, em especial no que se refere à internet, ZENIT entrevistou o jornalista Vicenzo Grienti, especialista do departamento de comunicações da Conferência Episcopal italiana, autor do livro "Chiesa e internet. Messaggio evangelico e cultura digitale" (Academia Universa Press Firenze, 2010).

ZENIT: A Igreja está pronta para fazer uso das oportunidades que a cultura digital oferece, ou ainda há resistências?

Grienti: Como simples jornalista e observador do fenômeno, penso que ao longo da história das comunicações sociais, a Igreja esteve sempre aberta às solicitações oriundas das novas tecnologias: basta observar as últimas mensagens de Bento XVI relativas ao Dia Mundial das Comunicações Sociais e as iniciativas da Igreja italiana para compreender de que modo a comunidade eclesial se posiciona em relação aos meios de comunicação social. Com o Concílio Vaticano II, registra-se uma grande abertura da Igreja para os meios de comunicação. No que se refere ao tema específico da web, no meu entender são duas as pedras fundamentais, representadas pelos documentos do Conselho Pontifício das Comunicações Sociais de título "A Igreja e a internet" e "Ética e internet", ambos de 2002. A estes se somam uma série de convenções, seminários e encontros; o mais importante, no âmbito da Igreja italiana, foi a recente convenção nacional de tema "Testemunhos digitais. Faces e linguagens na era do crossmedia", promovido pela Conferência Episcopal Italiana em abril e encerrado com a presença de mais de 8 mil participantes presentes na audiência do Santo Padre. As palavras "testemunhos" e "digitais" são muito sugestivas: ser testemunha significa testemunhar a própria fé no contexto em que se vive. Um contexto de todo novo, de fato digital, inédito e caracterizado por novas linguagens, como a da web 2.0.

ZENIT: De que maneira a web, como instrumento, vem sendo e será utilizada?

Grienti
: Hoje, na Itália, existem mais de 15 mil sites de conteúdo católico: muitos são páginas de dioceses e paróquias, outros são páginas pessoais ou blogs. Alguns fazem uso da web 2.0, como o Facebook, Twitter, YouTube e outras modalidades de redes sociais. Em meu livro, analiso estes fenômenos, e estou convencido de que a Igreja está aberta e confiante em relação a estes. É necessário compreender, porém, que estamos diante de instrumentos postos a serviço do homem. Os novos media são úteis para veicular a mensagem evangélica, a Palavra de Deus. Estes instrumentos constituem o "primeiro areópago dos tempos modernos" e, em razão da própria missão da Igreja, funcionais enquanto, conforme escreveu João Paulo II na encíclica Redemptoris missio de 1990, "não basta usá-los para difundir a mensagem cristã; é necessário integrar a própria mensagem a esta nova cultura criada pela moderna comunicação".

Da mesma forma, as "Orientações" pastorais dos bispos italianos para o período 2000-2010 colocam o comunicar no centro da ação pastoral da Igreja, sinal de que a comunicação é um fator por demais importante para ser ignorado. Tudo isto tendo em vista que as relações "face a face" permanecem insubstituíveis e essenciais para a transmissão do Evangelho. O desafio para o futuro será não só o de educar estes novos meios, mas também desenvolver uma ação educativa através deles, especialmente no que diz respeito às novas gerações os assim chamados "nativos digitais", habituados a estas novas linguagens.

ZENIT: O ingresso na web de paróquias, dioceses e institutos missionários favorece a transparência e exige novas propostas missionárias? O que pensa a respeito?

Grienti: Concordo plenamente. A esse respeito, sem dúvida é de grande interesse e relevância a reflexão de Bento XVI por ocasião da Mensagem para o 43º Dia Mundial das Comunicações Sociais. No texto, de fato, o Papa exorta os jovens católicos a "levarem ao mundo digital o testemunho de sua fé", pois compete a eles "a tarefa de evangelizar este 'continente digital'", ajudando as pessoas a passarem "do mundo virtual do cyberespaço para o mundo real da comunidade cristã".

ZENIT: Quais são os limites do sistema telemático? Por exemplo, fala-se em realizar confissões pela internet; e há os riscos associados à mediação das relações humanas por máquinas algo que, se não compensado, arrisca oferecer mais danos que benefícios.

Grienti
: A internet oferece oportunidades e também riscos. Penso que os pilares fundamentais para uma "navegação" segura são três: o bom senso, a responsabilidade e a competência. A presença de sacerdotes na web, com sites pessoais, por exemplo, enriquece o anúncio que a Igreja faz do Evangelho. Mas no que se refere às confissões pela internet e, de modo geral, dos Sacramentos, acredito que estes encerrem um caráter pessoal, direto, real e não "mediado". Neste caso, estamos na esfera da "encarnação do Verbo", e, portanto, do aspecto concreto dos sacramentos: o Pão, o Vinho, a Água do Batismo, o gesto; tem um caráter imediato, não virtual da Salvação.

ZENIT: Para além das questões tecnológicas, qual projeto cultural a Igreja pretende oferecer para explicar as razões da própria fé?

Grienti
: A internet e as novas tecnologias em geral estão modificando nossa maneira de viver, de nos informar, de nos comunicarmos. Não é por acaso que se fala em uma nova cultura permeada pelos novos meios. Também estas novas linguagens interpelam ao testemunho do crente. Para "navegar" no âmbito desta nova cultura digital, é necessário ser educado para estas linguagens, promover a consciência e oferecer critérios interpretativos. Não é por acaso que as Orientações pastorais da Igreja italiana para o próximo milênio foquem a questão da educação. Hoje, essa questão se tornou uma verdadeira emergência, e é neste sentido que se orienta a proposta cultural da Igreja italiana. Fazer cultura através da comunicação é a tarefa fundamental. Emile Durkheim sustentava que, se abandonados à própria sorte, os homens estariam destinados a se tornarem vítimas dos próprios desejos sem fim. Por isso, é preciso focalizar a atenção na educação, e se fazem necessários "professores" capazes de ensinar; é necessário um patrimônio de valores, uma tradição a cultivar, compreender a própria identidade, antes de se abrir às identidades distantes à nossa; mas, principalmente, é necessário dispor de um modelo de experiência humana. Parece-me que a "questão antropológica" e a "questão educativa" são dois elementos aos quais o Projeto cultural da Igreja italiana tem conferido grande importância, através de iniciativas e atividades promovidas nas diversos núcleos culturais de todas as dioceses.
Confira mais notícias no link a seguir:

Lógica da Caridade


Intervenção do Papa no dia 11 de julho de 2010 (ZENIT.org), pronunciada ao meio-dia, ao rezar a oração mariana do Ângelus, junto aos peregrinos reunidos no pátio do Palácio Apostólico de Castel Gandolfo.

Queridos irmãos e irmãs:
Há alguns dias, como podeis ver, deixei Roma por ocasião da minha estadia de verão em Castel Gandolfo. Agradeço a Deus por me oferecer a oportunidade de descansar. Aos queridos habitantes desta belíssima localidade, à qual volto sempre com prazer, dirijo minha cordial saudação.
O Evangelho deste domingo começa com a pergunta de um doutor da Lei a Jesus: "Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?" (Lc 10, 25). Sabendo que era especialista nas Sagradas Escrituras, o Senhor convida esse homem a dar, ele mesmo, a resposta - que formula perfeitamente, citando os dois principais mandamentos: amar a Deus com todo o coração, toda a mente e todas as forças, e o próximo como a si mesmo.
Então, o doutor da Lei, talvez justificando-se, pergunta: "E quem é o meu próximo?" (Lc 10, 29). Desta vez, Jesus responde com a famosa parábola do "Bom Samaritano" (cf. Lc 10, 30-37), para indicar que cabe a nós fazer de qualquer pessoa que tenha necessidade de ajuda nosso "próximo". O samaritano, de fato, atende o desconhecido que os ladrões deixaram meio morto pelo caminho, enquanto um sacerdote e um levita haviam seguido adiante, pensando talvez que se contaminariam se entrassem em contato com seu sangue, segundo o preceito.
A parábola, portanto, deve nos levar a transformar nossa mentalidade segundo a lógica de Cristo, que é a lógica da caridade: Deus é amor e prestar-lhe culto significa servir os irmãos com amor sincero e generoso.
Esta narração evangélica oferece a "unidade de medida", isto é, a universalidade do amor que se dirige ao necessitado encontrado "por acaso" (cf. Lc 10, 31), seja ele quem for (encíclica Deus caritas est, 25). Junto a esta regra universal, dá-se também uma exigência especificamente eclesial: precisamente na Igreja como família, "não deve haver ninguém que sofra por falta do necessário" (ibidem). O programa do cristão, aprendido do ensinamento de Jesus, é "um coração que vê" onde há necessidade de amor, e que atua em coerência (cf. Ibidem, 31).
Queridos amigos: desejo recordar também que hoje a Igreja celebra São Bento de Núrsia, o grande padroeiro do meu pontificado, pai e legislador do monaquismo ocidental. Ele, como narra São Gregório Magno, "foi um homem de vida santa (...), de nome e pela graça" (Dialoghi, II, 1: Bibliotheca Gregorii Magni IV, Roma 2000, p. 136). "Escreveu uma Regra para os monges (...), espelho de um magistério encarnado em sua pessoa: de fato, o santo só pôde ensinar como viveu" (ibidem, II, XXXVI: cit., p. 208). O Papa Paulo VI proclamou São Bento como padroeiro da Europa, no dia 24 de outubro de 1964, reconhecendo a maravilhosa obra que ele desempenhou na formação da civilização europeia.
Confiemos a Nossa Senhora nosso caminho de fé, em particular neste tempo de férias, para que nossos corações jamais percam de vista a Palavra de Deus e os irmãos em dificuldade.

[Tradução: Aline Banchieri.]

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Palestras para os jovens


Domingo pela manhã! Um grupo de jovens, na faixa dos 13 aos 17 anos, já aguardava na entrada do estacionamento da Igreja Matriz, em Ondina, por mais uma palestra especialmente preparada para os crismandos.
No dia 11 de julho, foi a vez da Pastoral de Comunicação falar sobre "A Igreja e os Veículos de Comunicação", convidando os jovens a emitirem suas opiniões a respeito do cenário atual, marcado por conteúdos duvidosos, muitos deles geradores de violência e desagregação familiar. Mas, em meio a tudo isso, existem as coisas boas, que também foram lembradas e inseridas no conteúdo da palestra.
Há mais de 40 anos, o Documento do Concílio Vaticano II, Inter Mirifica, já reconhecia aos meios de comunicação o poder de influenciar toda a sociedade humana, tanto para o bem, como para o mal. Este documento serviu de base para o trabalho, que culminou com a leitura da carta do padre Lasarte, escrita para o jornal New York Times, como resposta às questões de pedofilia na Igreja, amplamente divulgada pela grande mídia, carta esta que você também pode conferir, na íntegra, aqui no blog.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Comovente e sábia resposta


Confira carta do padre salesiano uruguaio, Martín Lasarte, que trabalha em Angola, de 06 de abril e endereçada ao jornal norte-americano The New York Times. Nela expressa seus sentimentos diante da onda midiática despertada pelos abusos sexuais de alguns sacerdotes enquanto surpreende o desinteresse que o trabalho de milhares religiosos suscita nos meios de comunicação.



(Imagem: Google Imagens)