"Deus ande em tua frente para te conduzir, atrás de ti para te proteger e ao teu lado para te acompanhar!"


Você é o visitante de nº

Paróquia Ressurreição do Senhor

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

O VERDADEIRO NATAL!

Uma mulher foi às compras de Natal com suas duas crianças. Depois de muitas horas olhando filas e filas de brinquedos e tudo o mais; e depois de horas ouvindo suas crianças pedirem tudo o que viam pela frente, ela finalmente conseguiu chegar viva ao elevador. Ela se sentia como a maioria de nós nos sentimos nesta época do ano. Uma esmagadora pressão para ir a cada festa, experimentar todos os banquetes, conseguir o presente perfeito para cada pessoa em nossa lista de compras, assegurarmo-nos de não termos esquecido qualquer um em nossa lista de cartões e a pressão de ter certeza de ter respondido a todos que nos enviaram um cartão.
Finalmente as portas do elevador se abrem e já há uma multidão lá dentro. Ela se empurrou pra dentro, arrastando com ela as suas duas crianças e todas as sacolas. Quando as portas se fecharam ela, não agüentando mais e disse:

- Quem começou toda esta coisa de Natal deveria ser encontrado, pendurado e enforcado!

Do fundo do elevador, todos puderam ouvir uma voz tranqüila e calma responder: - Não se preocupe, nós já O crucificamos.
Pelo resto da viagem do elevador poderia se ouvir a queda de um alfinete.
Este ano, não se esqueça de manter Aquele que começou toda esta coisa de Natal em cada um de seus pensamentos, atitudes, palavras e compras. Se todos assim fizermos, imagine como este mundo poderá ser diferente.

Se tens amigos, busca-os! O Natal é encontro.
Se tens inimigos, reconcilia-te! O Natal é paz.
Se tens pobres ao teu lado, ajuda-os! O Natal é dom.
Se tens soberba, sepulta-a! O Natal é humildade.
Se tens dívidas, paga-as! O Natal é justiça.
Se tens pecado, converte-te! O Natal é graça.
Se tens trevas, acende o teu farol! O Natal é luz.
Se tens tristeza, reativa a tua alegria! O Natal é gozo.
Se estás no erro, reflete! O Natal é verdade.
Se tens ódio, esquece-o! O Natal é amor.
E Jesus Cristo é o perfeito amor!


Deus, em seu grande amor, presenteou a humanidade enviando-nos Jesus. A Estrela de Belém foi o sinal, e a manjedoura de palha e capim, o cenário.
O amor pela humanidade foi o motivo e, finalmente, o dia 25 de dezembro, a data escolhida.
Jesus nasceu e trouxe consigo uma palavra de graça, de justiça e de misericórdia.
Todas as suas palavras e todos os seus atos só são mantidos pelo mais verdadeiro amor.
O Natal é um dia festivo e esperamos que o seu olhar possa estar voltado para uma festa maior, a festa do nascimento de Cristo, dentro de seu coração.
Desejamos que neste Natal, antes de você perceber Jesus nas luzes que piscam pela cidade, que você O encontre primeiramente em seu coração. E, à frente de qualquer palavra que expresse seu desejo de um feliz Natal, O encontre em suas ações.
Que você encontre Jesus na bênção de sua mesa farta e no aconchego de sua família, lembrando-se daqueles que mal se alimentam do pão e sequer um lar tem.
Que você O encontre não apenas no presente que troca, mas principalmente na vida que Ele lhe deu como presente.
Que possamos nos lembrar, sempre, de agradecer por sermos pessoas privilegiadas, porque Jesus tornou-se o nosso presente e morreu na cruz por todos nós.
Devemos nos lembrar, diariamente, quem é o Natal, Jesus Cristo é o Verdadeiro Natal!

“Queira Deus pudéssemos guardar o espírito de natal em 365 jarros e abrir um jarro em cada dia do ano."

Feliz Natal na presença do Aniversariante!
                                                                                                                                                               p@ulo

Jornal "O Ressuscitado" de Dezembro

Confira as últimas notícias de nossa Paróquia, na edição de dezembro de 2011, do jornal "O Ressuscitado".


segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Bote Fé Salvador foi um sucesso!

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) chegaram a São Paulo no dia 19 de setembro, dando início ao evento "Bote Fé" e desde então percorrem todo o Brasil. A Cruz da JMJ e o Ícone de Nossa Senhora foram entregues pelo papa João Paulo II à juventude para serem levados ao mundo inteiro como sinal da presença de Jesus e de Maria junto aos jovens. Desde então, já peregrinaram por todos os continentes e passarão por todos os estados brasileiros até julho de 2013, quando acontece a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro.


Os fiéis se despedem dos trios na Pça Castro Alves e a Cruz segue para a Pça Municipal

No dia 18 de Dezembro os símbolos da Jornada Mundial da juventude chegaram em Salvador! Eles foram acolhidos no bairro de Valéria, com alvorada e carreata para o Santuário da Bem-aventurada Dulce dos Pobres. Às 7h30 foi realizada uma caminhada para a Basílica do Senhor do Bonfim, onde também foi celebrada a Santa Missa. Os símbolos ficaram expostos para visitação até as 13h. Às 15h, a Cruz e o Ícone foram levados para o Campo Grande e de lá foram carregados até a Praça Municipal onde ocorreu o Show “Bote fé” Salvador, com a apresentação da cantora e missionária da Canção Nova, Eliana Ribeiro.

Momento de louvor e adoração com Eliana Ribeiro

No percurso da Praça do campo grande até a Praça Municipal, os fiéis foram animados com dois trios elétricos: A Banda de pagode católico Alto Louvor e a de Axé católico “Banda Dominus”. O encontro reuniu paroquianos de toda a cidade de Salvador e até de outros municípios que vieram manifestar a sua fé e o seu respeito pelos símbolos que representam a Jornada Mundial da Juventude. Deise Silva, 17, veio de Simões Filho com seus colegas do Grupo de Jovens e disse que não via a hora deste dia chegar. "Me emocionei, quando cheguei no Bonfim e vi os símbolos que representam o grito de evangelização dos jovens", diz.
Juventude animada ao som da Banda Alto Louvor
Essa é mais forma de manifestação de fé, louvor, agradecimento e incentivo a juventude, que em um mundo cheio de incertezas precisa se posicionar com coragem para conseguir viver na verdade de Cristo.

Confira mais fotos no álbum da PJ Ondina, no facebook.

Editorial - Jornal de Dezembro

Tempo de Balanço!

O término de mais um ano é um tempo propício para pararmos e analisarmos as coisas que aconteceram na nossa vida, na nossa cidade, no país e no mundo ao longo deste ano. Sabemos que o bem gera o bem e o mal gera o mal e as escolhas que fizemos ao longo do ano somadas às nossas ações, nos proporcionaram chegar onde estamos.

Voltemos nosso olhar para dentro de nós mesmos, a fim de analisarmos como aproveitamos as oportunidades que nos foram oferecidas.

Como está nossa família, nossa vida profissional e financeira?
Como está nossa saúde e nossos momentos de lazer?
Como está nosso relacionamento com o próximo e com Deus?
Como foi nossa contribuição para tornar o mundo melhor?
É importante rever conceitos, valores, princípios...

Ver se em nossa vida há um equilíbrio entre o material e o espiritual.
Ver o que fizemos de bom e o que podemos fazer para melhorar ainda mais.

Aproveitemos o momento presente e sejamos gratos a Deus pelas inúmeras conquistas alcançadas ao longo deste ano que finda...
Sejamos gratos, também, pelas dificuldades que enfrentamos, mas que proporcionaram aprendizado, crescimento na fé e amor solidário.

Obrigado Senhor, pela tua presença constante em nossa caminhada paroquial!
Obrigado Senhor, pelos grupos comprometidos nas comunidades, pastorais, movimentos, serviços, conselhos e ministérios!
Obrigado Senhor, pelos nossos funcionários, voluntários e pessoas de boa vontade que nos ajudaram!
Obrigado Senhor, pelos nossos confrades redentoristas e outros sacerdotes amigos, religiosas e
diáconos que acreditaram em tua proposta de testemunharam o teu amor!
Obrigado Senhor, pelos anônimos que o Senhor colocou em nosso caminho para que fizéssemos as ‘tuas vezes’!
Obrigado Senhor, pelo sentimento do dever cumprido, graças à Tua infinita bondade!

Pe. Rosivaldo Motta, CSsR- Pároco

domingo, 18 de dezembro de 2011

CICLOS

OS SÍMBOLOS DO NATAL

O homem não vive sem sinais e símbolos.
Seu pensar, seu conhecer, seu expressar o real e o espiritual é realizado através de símbolos. Ele transforma tudo em símbolos para ser entendido pelos outros. Assim a língua falada e escrita e as artes nas suas diversas expressões (pintura, escultura, música, dança ...) são os símbolos mais comuns.

O homem se expressa simbolicamente também através da fé e da cultura, e o natal é uma expressão de fé e de cultura.

   ÁRVORE DE NATAL

No mundo, milhões de famílias celebram o Natal ao redor de uma árvore. A árvore, símbolo da vida, é uma tradição mais antiga do que o próprio Cristianismo, e não é exclusiva de uma só religião.
Muito antes de existir o Natal , os egípcios traziam galhos verdes de palmeiras para dentro de suas casas no dia mais curto do ano em dezembro como um símbolo de triunfo da vida sobre a morte.

Já o costume de ornamentar a árvore pode ter surgido do hábito que os druidas tinham de decorar velhos carvalhos com maçãs douradas para as festividades deste mesmo dia do ano.A primeira referência a uma " Árvore de Natal" é do século XVI. Na Alemanha, famílias ricas e pobres decoravam árvores com papel colorido, frutas e doces. Esta tradição se espalhou pela Europa e chegou aos Estados Unidos pelos colonizadores alemães. Logo, a árvore de Natal passou a ser popular em todo mundo.


PINHEIRO

É a única árvore que não perde suas folhas durante o ano todo. Permanece sempre viva e verde.

Foi usado pela primeira vez pela rainha da Inglaterra Elizabete e por ocasião do dia 25 de Dezembro , quando oferecia uma grande festa e recebia muitos presentes .

Não podendo recebê-los todos pessoalmente pediu que fossem depositados em baixo de uma árvore no jardim. Origina-se daí, igualmente, o costume depositar os presentes em baixo da árvore.

Árvore verde também trás a esperança , a alegria e a vida nova . O verde constante do pinheiro, a vida permanente e plena que Jesus Cristo aparece.



BOLAS COLORIDAS QUE ENFEITAM AS ÁRVORES


Simbolizam os frutos da "árvore vida" ou seja, Jesus Cristo.




O PRESÉPIO

Um dos símbolos mais comuns no Natal dos países católicos é a reprodução do cenário onde Jesus Cristo nasceu: uma manjedoura, animais, pastores, os três reis magos, Maria, José e o Menino Jesus.

O costume de montar presépios surgiu com São Francisco de Assis, que pediu a um homem chamado Giovanni Villita que criasse o primeiro presépio para visualizar, sensibilizar, facilitar a meditação da mensagem evangélica, do, conteúdo, do mistério de Jesus Cristo que nasce na pobreza, na simplicidade. São Francisco, então, celebrou uma missa em frente deste presépio, inspirando devoção a todos que o assistiam.



PAPAI NOEL

Ele foi inspirado no bispo Nicolau, que viveu e pontificou na cidade de Myra, Turquia, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. Foi declarado santo depois que muitos milagres lhe foram atribuídos.
Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo. Nos Estados Unidos, a tradição do velhinho de barba comprida e roupas vermelhas que anda num trenó puxado por renas ganhou força.A figura do Papai Noel que conhecemos hoje foi obra do cartunista Thomas Nast, na revista Harper's Weeklys, em 1881.



O CARTÃO DE NATAL

A prática de enviar cartões de Natal surgiu na Inglaterra no ano de 1843. Em 1849 os primeiros cartões populares de Natal começaram a ser vendidos por um artista inglês chamado William Egly.

Independentemente da sofisticação, beleza e simplicidade, os cartões são símbolos do inter-relacionamento do homem. O ser humano é comunicação, é relacionamento. A dimensão dialogal, de comunhão, de empatia vem expresso pela palavra escrita. Ao falarmos em palavra, nos vem à mente o prólogo do evangelho de São João: Cristo é o Verbo, a Palavra criadora, unificadora e salvadora de Deus (Jo 1,1-5).


OS PRESENTES

Existem muitas origens para este símbolo. Uma delas conta que São Nicolau, um anônimo benfeitor, presenteava as pessoas no período natalino. Outra tradição mais antiga, lembra os três reis magos que presentearam Jesus. O dia e o motivo de dar e receber presentes varia de país para país.

A origem dos presentes por ocasião do final do ano tem origem pagã e que a tradição cristã foi aos poucos assimilando.

Os romanos, há mais de 1500 anos, tinham o costume de enviar presentes aos amigos no início do ano novo. Tal hábito coincidia aos festejos ao deus Janus (um deus bifronte, que olhava para o ano que terminava e para o que começava) e, talvez as origens do nosso reveillon e outras comemorações de fim de ano. Esta festa complementava a festa do sol (25 de dezembro). Com o crescimento do cristianismo essas festas foram ganhando sentido cristão: Cristo é o Sol que ilumina o caminho dos homens; Ele é o Senhor da História; é o grande presente de Deus à humanidade. Dar presente é uma maneira muito palpável de demonstrar a solidariedade e bondade humana em dar sem interesse de receber. É vivenciar de maneira simples e ínfima a imensa e infinita bondade de Deus.


CANÇÕES DE NATAL

A Igreja católica sempre deu muita importância para o valor da música. As primeiras canções natalinas datam do século IV e são cantadas até hoje na véspera de Natal.





A COMIDA

O Natal significa comida na maior parte do mundo cristão. O simbolismo que o alimento tem na mesa no dia de Natal vem das sociedades antigas que passavam muita fome e encontravam em algum tipo de carne - o mais importante prato - uma forma de referenciar à Deus e à Jesus. Geralmente era servido porco, ganso - mais tarde substituído por peru, e peixe. Uma série de bolos e massas são preparados somente para o Natal e são conhecidos por todo mundo.



A ESTRELA

A estrela na sociedade humana esteve sempre ligada como "bússolas naturais" das pessoas. Hoje os aparelhos de navegação evoluíram de tal forma que as estrelas se tornaram apenas ornamentos no céu, objeto de estudo. Contudo durante milhares de anos eram elas as responsáveis em guiar os navegadores pelos mares e os viajantes pelos desertos. Eram elas que indicavam a direção, o sentido, o porto seguro.

A estrela guiou os três reis magros Baltazar, Gaspar, Melchíor - desde o oriente até local onde nasceu Jesus para que pudessem presentea-lo com ouro, incenso e mirra , é lembrada hoje pelo enfeite que é colocado no topo da árvore de Natal. E Jesus Cristo é a Estrela Guia da humanidade. Ele é o caminho, o Sentido, a Verdade e a Vida.



OS MAGOS

"Eis que uns magos chegaram do Oriente a Jerusalém perguntando: 'onde está o rei dos Judeus, que acaba de nascer? ... viemos adorá-lo, '... Eis que a estrela que tinham visto no Oriente, ia-lhes à frente até parar sobre o lugar onde estava o menino ... e o adoraram. Abriram seus cofres e lhe ofereceram ouro, incenso e mirra"(Mt 2,1-12).
Não eram reis e sim sábios, estudiosos, mas o que isto importa? A mensagem é mais forte que esse detalhe. Esta narração tão plástica e viva, enriquecida posteriormente com aspectos lendários, como o nome dos três (Melchior, Gaspar e Baltazar), traz duas grandes mensagens teológicas:
- Cristo não veio apenas para os Judeus, mas para redimir toda a humanidade, Ele é o polo para o qual convergem todas as raças.

- A segunda grande mensagem está relacionada aos presentes oferecidos pelos magos: ouro, incenso e mirra. O evangelista Mateus expressa por esses símbolos a fé vivenciada pelos primeiros cristãos: Cristo é Rei dos Reis (daí o ouro), é filho Deus (o incenso) encarnado (a mirra).

A VELA

Por milhares de anos, até a descoberta da energia elétrica há 100 anos, a vela, a lamparina ou lampião a óleo, as tochas foram as fontes de luz nas trevas noturnas. A minúscula chama afugentava as trevas, a escuridão dando segurança e calor. Por isso na antigüidade alguns povos chegaram a cultuar o fogo como divindade. Jesus Cristo é a luz que ilumina nosso caminho: "Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida" (Jo 8,12). E "vós sois a luz do mundo ... não se acende uma candeia para se pôr debaixo de uma vasilha, mas num candelabro para que ilumine todos os da casa. É assim que deve brilha vossa luz" (MT 5,14-16).   

Fonte: catequisar.com

FELIZ AQUELE QUE TRANSFERE O QUE SABE E APRENDE O QUE ENSINA.

"Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser: ... colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar.
Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

(Cora Coralina)

sábado, 10 de dezembro de 2011

70 Anos da Rádio Excelsior da Bahia

Rádio Excelsior da Bahia, única emissora católica da grande Salvador, completa 70 anos de criação e começa a comemorar a data no 10º Encontrão da Família Excelsior Vida:

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Como você está vivendo o Advento?

O Ano Litúrgico começa com Tempo do Advento; um tempo de preparação para a Festa do Natal de Jesus. Este foi o maior acontecimento da História: o Verbo se fez carne e habitou entre nós. Dignou-se a assumir a nossa humanidade, sem deixar de ser Deus. Esse acontecimento precisa ser preparado e celebrado a cada ano. Nessas quatro semanas de preparação, somos convidados a esperar Jesus que vem no Natal e que vem no final dos tempos.
Nas duas primeiras semanas do Advento, a liturgia nos convida a vigiar e esperar a vinda gloriosa do Salvador. Um dia, o Senhor voltará para colocar um fim na História humana, mas o nosso encontro com Ele também está marcado para logo após a morte.
Nas duas últimas semanas, lembrando a espera dos profetas e de Maria, nós nos preparamos mais especialmente para celebrar o nascimento de Jesus em Belém. Os Profetas anunciaram esse acontecimento com riqueza de detalhes: nascerá da tribo de Judá, em Belém, a cidade de Davi; seu Reino não terá fim... Maria O esperou com zelo materno e O preparou para a missão terrena. Para nos ajudar nesta preparação usa-se a Coroa do Advento, composta por quatro velas nos seus cantos – presas aos ramos formando um círculo. A cada domingo acende-se uma delas. As velas representam as várias etapas da salvação. As velas acesas simbolizam nossa fé, nossa alegria. Elas são acesas em honra do Deus que vem a nós. Deus, a grande Luz, “a Luz que ilumina todo homem que vem a este mundo” está para chegar, então, nós O esperamos com luzes, porque O amamos e também queremos ser, como Ele, Luz.
No lº Domingo, há o perdão oferecido a Adão e Eva. Eles morreram na terra, mas viverão em Deus por Jesus Cristo.
Até quando adiaremos a nossa profunda e sincera conversão para Deus?
No 2º Domingo, meditamos a fé dos Patriarcas. Eles acreditaram no dom da terra prometida.
No 3º Domingo, meditamos a alegria do rei Davi. Ele celebrou a aliança e sua perpetuidade.
No 4º Domingo, contemplamos o ensinamento dos Profetas: Eles anunciaram um Reino de paz e de justiça com a vinda do Messias. O Profeta Isaías apresenta o Senhor como o Deus Forte, o Conselheiro Admirável, o Príncipe da Paz.
(Retirado de uma reflexão do Prof. Felipe Aquino da Canção Nova)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Pastoral catequética encerra 2011 celebrando a 1ª eucaristia de 60 crianças

A Pastoral Catequética encerrará o ano celebrando a primeira Eucaristia de aproximadamente 60 crianças ou adolescentes, cada comunidade realizará sua celebração. No dia 03 de dezembro foi celebrada a missa de primeira comunhão dos adolescentes da Igreja Matriz e das comunidades Coração de Jesus e Coração de Maria. A Comunidade N. Srª dos navegantes / Imaculada Conceição será no dia 08 de dezembro e a Comunidade São Lázaro no dia 10 de dezembro.

É ideal que todo Cristão inicie seus filhos nos gestos e sinais de veneração pela presença de Jesus na Eucaristia (Santíssimo Sacramento). As crianças precisam saber o significado da lâmpada do Santíssimo, do silêncio, da genuflexão, do gesto de se benzer, do momento de oração pessoal com Jesus.
Essas informações e muitas outras eles aprendem através da catequese. A Pastoral catequética possui catequistas dispostas a evangelizar os pequeninos levando-os ao amor maior, o amor do Pai.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Missa de confraternização dos dizimistas


“Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimentos em minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós benção sem medida”. Malaquias 3,10

Em clima de festa e alegria a Pastoral do Dízimo realizou a sua confraternização de Natal de 2011. O encontro dos dizimistas aconteceu no dia 03 de dezembro, no salão de festas da Paróquia da Ressurreição, após a missa oraganizada também em homenagem aos dizimistas.