"Deus ande em tua frente para te conduzir, atrás de ti para te proteger e ao teu lado para te acompanhar!"


Você é o visitante de nº

Paróquia Ressurreição do Senhor

quarta-feira, 29 de maio de 2013

História do Cânon bíblico – parte 1 (Curso Bíblico)


Pe. Antônio Niemiec, CSsR
 
Ao abrirmos uma Bíblia, logo no início, deparamo-nos com um índice formado por uma lista de títulos, que se dividem em dois grupos: o Antigo Testamento e o Novo Testamento. No primeiro grupo (AT), encontram-se 46 volumes. 

No outro grupo (NT) encontram-se 27 títulos. A essas duas coleções de textos dá-se o nome de “Cânon das Sagradas Escrituras”. Cânon é uma palavra grega e significa “medida” ou “regra”. Como a Escritura é uma regra de fé e de moral dada por Deus, logo se passou a falar de “Cânon das Escrituras”. 

Portanto, Cânon bíblico é a coleção dos livros inspirados por Deus, recolhidos pela Igreja e considerados por ela como “regra de verdade” em virtude de sua origem divina. Livros canônicos, em sentido ativo, são os livros da Bíblia enquanto servem de regra de verdade e de moral. Em sentido passivo, são os livros da Escritura enquanto recebidos e reconhecidos pela Igreja como inspirados por Deus. 

O Concílio Vaticano II ensina: “Pela Tradição torna-se conhecido à Igreja o cânon completo dos Livros Sagrados” (DV n 8c). A história do Cânon bíblico trata como e quando se formaram as coleções dos livros canônicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário