"Deus ande em tua frente para te conduzir, atrás de ti para te proteger e ao teu lado para te acompanhar!"


Você é o visitante de nº

Paróquia Ressurreição do Senhor

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Área Católica: a Rede Social do Povo Católico

Lançada em maio último, aos pés do Cristo Redentor por Dom Orani Tempesta, a mídia social www.areacatolica.com promete reunir católicos do mundo inteiro. Qualquer pessoa pode criar o próprio perfil no site, que indica como usá-lo. 

O usuário pode encontrar amigos, conversar sobre doutrina e acontecimentos da Igreja, declarações do Papa, além de trocar informações sobre arquidioceses, paróquias e comunidades. Também pode compartilhar os posts em outras redes sociais. 

Antes do lançamento, já possuía 5 mil inscritos. Alexandre Varela, jovem idealizador da mídia, diz que o novo espaço foi pensado como uma extensão da Jornada Mundial da Juventude para interação e troca de experiências culturais. 

A intenção foi criar um lugar onde o católico encontre conhecimentos sobre a sua fé e crie conexões com pessoas que pensam como ele. “É mais ou menos como futebol: você sai na rua e tem um monte de gente que torce pelo seu time, mas nada é comparável a quando você vai num estádio e, junto com todos, canta o hino do time”, pontuou Alexandre exemplificando o Área Católica como um lugar onde o católico se reúne e amplia ações de caridade e missão. 

Para Dom Orani, a ferramenta aumenta a fraternidade e a paz no mundo de hoje.

domingo, 23 de agosto de 2015

Encontro Semear - para Crianças entre 9 e 11 anos

No dia 20/09 acontecerá mais um encontro de crianças com Cristo, na Paróquia Ressurreição do Senhor. O Semear acontece anualmente, e é voltado para crianças entre 9 e 11 anos. Muitos jovens, que estão participando do Grupo Iluminar e Trilha, iniciaram a caminhada no Semear e sentiram o desejo de seguir adiante, caminhando com Cristo. 

Tragam as suas crianças e permitam que elas vivenciem essa maravilhosa experiência. Elas perceberão a alegria que é seguir os ensinamentos do Cristo Ressuscitado. Maiores informações e inscrições, favor entrar em contato com os coordenadores Mônica e Marcos Coutinho, no telefone 9957-8808.

sábado, 22 de agosto de 2015

Pequeninos do Senhor - Aplicativo oferece orações em texto e áudio para crianças

O aplicativo Pequeninos do Senhor permite que a criança aprenda a orar através do celular ou tablet, acessando texto e áudio de diversas orações da Igreja Católica Apostólica Romana. Gravado por uma criança voluntária do projeto, rezar se tornou um momento especial para os pequeninos e também para os pais e catequistas.

O aplicativo Pequeninos do Senhor está disponível para tablets e smartphones na App Store e no Google Play. Ele é acessado no Android Market e compatível para iPhone, iPad e iPod touch, a partir da versão 5.0 do sistema IOS. Está disponível, ainda, para mais de 5.900 modelos de dispositivos móveis com o sistema Android a partir da versão 2.0.

Além de todos esses recursos, a novidade traz jogos, desenhos para colorir, quebra-cabeça, histórias contadas pelos seis personagens do Projeto Pequeninos do Senhor: Rebeca, Pedro, Sara, Mateus, Lia e Lucas. Outras novidades serão lançadas dentro de cada mês para atrair a atenção das crianças e manter o Aplicativo sempre atualizado.

Os catequistas, além de orientações exclusivas, também terão acesso a material de preparação para os encontros com crianças aos domingos, na missa. O espaço “Catequistas” contém o Evangelho de domingo com explicação e sugestão de atividades com as crianças e jovens.

No hotsite exclusivo do APP, é possível navegar pelo aplicativo e ter acesso a um conteúdo completo de Making Of, textos, imagens e vídeos.

Acesse e confi ra: http://www.pequeninosdosenhor.org/index.php/app/.#pequeninosAPP

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Vocação: resposta ao chamado de Deus - Parte 05

Vocação e missão dos leigos no mundo 


Muitas vezes o termo “leigo” é mal interpretado, como se leigo em qualquer assunto fosse o mesmo que ser leigo na Igreja. Leigos na Igreja são aqueles que não participam do clero, mas participam do sacerdócio em Cristo, pelo sacramento do Batismo. O laicato não tem o sacerdócio ministerial, mas sim o sacerdote régio. 

Por leigos entende-se aqui, “todos os cristãos com exceção dos membros da ordem sacra, ou do estado religioso reconhecido pela Igreja, isto é, os fiéis que, incorporados em Cristo pelo Batismo, constituídos em povo de Deus e feitos participantes, a seu modo à função sacerdotal, profética e real de Cristo, exercem na Igreja e no mundo, a missão de todo o povo cristão” (Constituição Dogmática Lumem Gentium, 31). 

É vocação dos leigos estar em missão no mundo, pois são eles que estão engajados em seus diversos setores, onde são chamados, por Cristo e pela Igreja, a ser sal e luz. Nesta esperança depositada pela Igreja em seus leigos é dever de todos que abraçam este estado de vida, propagar a fé, defender todas as diretrizes da Igreja e confirmar esta santidade, pois temos a certeza de participar ativamente dos mistérios de Cristo. 

É preciso que os que têm encargo de dar formação católica saibam assumir a responsabilidade perante a meta que foi lembrada pelo Concílio Vaticano II, e recordada com força por São João Paulo II, enquanto Papa. “Ensinar alguém, para trazê-lo à fé, é dever de todo o pregador e, mesmo, de todo o crente”. (São Tomás de Aquino). 

Deus nos chama a servi-Lo em e a partir de tarefas civis, materiais e seculares da vida humana. Deus nos espera a cada dia: no laboratório, na sala de operações de um hospital, no quartel, na cátedra universitária, na escola, na fábrica, na oficina, no comércio, no campo, em todo imenso panorama do trabalho. Também na vida política, na associação de moradores, na igreja que nos acolhe, nos nossos vizinhos e no seio do lar... Ele lá está a nos esperar! 

Principalmente Deus quer que acima de tudo, em todos estes setores sejamos verdadeiros apóstolos e testemunhas de Jesus Cristo, de tal maneira que todos sintam que Cristo vive entre nós. 
Adaptado de fragmentos do texto de Francisco Faus

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Vocação:resposta ao chamado de Deus - Parte 04

Vocação religiosa 


 Religiosos são homens e mulheres que sentem o chamado de Deus para deixar tudo e dedicar toda a sua vida a Deus e aos irmãos, numa Congregação que tem a missão com a qual se identificam. A segurança, a glória e a realização total eles encontram em Deus. 

Procuram seguir os preceitos de Cristo para serem, diante do mundo e dos demais cristãos, um exemplo, vivo do Evangelho, do projeto do Reino de Deus que Jesus deixou. Fazem, como Jesus, opção preferencial pelos mais pequeninos. Cuidam dos pobres: crianças, jovens, doentes, idosos, desamparados, enfim de todos, os marginalizados, com os quais Jesus mais se identificou. 

A vocação religiosa é um chamado a uma vivência radical do batismo, caracterizada por um constante combate contra a idolatria, especialmente através da vivência dos votos de pobreza, castidade e obediência. 

A vida religiosa entra em crise quando deixa de lado a vivência dessa vocação primeira, a radicalidade do batismo, para cumprir somente as suas atividades, suas práticas. Quando deixa de lado a vivência de sua consagração, o religioso, pouco a pouco, se afasta de seu seu chamado. 

Fonte: https://padrepauloricardo.org/episodios/vocacao-religiosa

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Vocação: resposta ao chamado de Deus - Parte 03

Fonte: http://diocesedecacador.org.br/site/

Vocação matrimonial 


 Ao criar o homem e a mulher à sua imagem e semelhança Deus lhes concedeu o dom de constituírem uma unidade a ponto de se tornarem um só, na doação recíproca. A vocação matrimonial é o chamado que Deus faz ao homem e à mulher para formarem uma comunhão geradora de vida, fruto do Seu amor. 

Para quem tem fé, o matrimônio também é vocação: um chamado de Deus ao dom de si no amor recíproco e aberto à vida, sentimo-nos chamados por Deus a um caminho e a uma plenitude que só Ele pode dar. Cristo quis nascer e crescer no seio da Sagrada Família: Jesus, Maria e José, desta forma a Igreja se torna a “família de Deus”. Denominada igreja doméstica, a família deve oferecer as condições favoráveis para o nascimento e crescimento dos seus filhos e filhas, numa autêntica vida cristã. A família é assim, partícipe da missão educativa da Igreja, que é mestra e mãe. 

É no seio do lar que precisamos encontrar a felicidade para uma convivência harmoniosa de relações fraternas e neste sentido a vocação matrimonial está a serviço da vida, a serviço do Reino de Deus. 

Na verdade, a família é tão importante para o ser humano, que o matrimônio, a paternidade e a maternidade devem ser assumidos como vocação personalizada do Pai Celeste.


terça-feira, 18 de agosto de 2015

VIII Encontro com o Bom Pastor


Vocação: resposta ao chamado de Deus - Parte 02

Ordenação de Pe. Aloísio Mota, CSsR - em 31/01/2009
VOCAÇÃO SACERDOTAL 

Os caminhos de Deus nem sempre são fáceis de serem reconhecidos e nem tão óbvios a ponto de serem previstos. A vocação sacerdotal, por exemplo, pode ser percebida em diferentes estágios da vida, sendo despertada até mesmo naqueles que, aparentemente, já traçaram os seus caminhos, escolhendo uma ou outra profissão para exercer na sua vida civil. 

Mas o chamado cala fundo naqueles que decidiram entregar suas vidas para Deus através do sacerdócio. Eles cruzam mares, deixam suas famílias e tornam-se verdadeiros pais espirituais de outras tantas famílias formadas pela fé, como grandes missionários de Jesus Cristo, na laboriosa e importante missão de, junto com os leigos, formarem a Igreja. 

Tudo nesta vocação de carisma particular amadurece as motivações reais da opção. O ministro ordenado preside e coordena os serviços da comunidade e é enviado a pastoreá-la e animá-la. Por intermédio dos sacramentos celebra a presença de Deus no meio do Seu povo. 

O sacerdote é o bom pastor que guia, alimenta, defende, pois conhece o seu rebanho. “Isto exige humanidade, caráter íntegro e maduro, virtudes morais sólidas e personalidade madura”. (OT 11) 

Um jovem para ser padre deve, primeiramente, ter esse desejo em seu coração. Depois, ingressar num seminário e estudar até tornar-se apto para exercer sua vocação de sacerdote. A nossa Paróquia e comunidades são atendidas pela Congregação do Santíssimo Redentor - C.Ss.R, portanto, nossos sacerdotes são Redentoristas. 

Se você, jovem, sente um chamado em seu coração e deseja fazer parte dessa Congregação, é só acessar o site para obter maiores informações e entrar em contato! Clique na imagem abaixo:


segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Vocação: resposta ao chamado de Deus - Parte 01

Depois de ter chamado o homem e a mulher para a vida, Ele torna a chamá-los, porque há muitas coisas que Deus deseja fazer no mundo através deles. Deus não quer mais agir sozinho. Por isso, quando Deus chama, Ele chama para confiar alguma missão. O importante é que a resposta a este chamado seja voltada para a construção do bem comum e do Reino de Deus aqui na Terra. 

Mesmo porque, ao sermos chamados à fé, pelo batismo, nos comprometemos a seguir os ensinamentos de Jesus Cristo e a colaborar com a humanidade na busca da verdade e do bem, vivendo como irmãos e irmãs. Assim, ao sermos chamados a qualquer estado de vida, assumimos um compromisso específico com a comunidade humana: ajudá-la a encontrar a felicidade. 

Tomar consciência de que a vocação é um chamado de Deus à vida deve levar à percepção de que esta vida nos foi dada não só como dádiva, mas também como incumbência; não só como dom, mas como tarefa. Vocação é convite pessoal que Deus dirige a cada um. Cada ser humano tem algo singular e uma maneira própria de realizá-lo. Ao descobrir a sua vocação, o homem está se descobrindo a si mesmo.  Para que a vocação se realize se faz necessário um discernimento sincero e este só acontece a partir do momento em que nos confrontamos. Quando não há essa confrontação, corremos o risco de nos enganar e iludir. Para o cristão, a oração é algo fundamental nesse processo.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Neste mês dedicado às vocações, um convite aos jovens!

Você se questiona sobre novos caminhos em sua vida? Então não perca este evento! 

Será no dia 15 de agosto, das 8h às 17h, no Centro Pastoral Arquidiocesano, no Garcia. Você vai conhecer e partilhar de uma jornada onde a vida consagrada de Salvador, sobre as suas diversas formas, celebrará o ano que o Papa Francisco a ela dedicou. 

Nas Oficinas, os seus dons e talentos poderão ser partilhados. Venha armar a sua tenda da alegria na Cúria Arquidiocesana. Aguardamos você! 

Ligue para a CRB (Conferência dos Religiosos do Brasil) e fale com Ângela: (71) 3328-7278.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Pastoral dos Coroinhas

Com imensa alegria a Pastoral dos Coroinhas da Arquidiocese de São Salvador da Bahia convida você, coroinha e acólito, para juntos celebrarmos a Festa de São Tarcísio, o nosso padroeiro. 

Será no dia 15 de agosto, às 13h, na Igreja São Pedro dos Clérigos (ao lado do Restaurante Cantina da Lua), Terreiro de Jesus – Centro. 

Os coroinhas e acólitos irão agradecer, adorar e louvar a Cristo rendendo graças pelo exemplo de fé e coragem que São Tarcísio lhes deixou. Venha participar. Sua presença é indispensável!

150 anos com o Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Padre José Grzywacz 
E-mail:jozefgrzywacz@hotmail.com 




História do Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (De Creta a Roma) 


Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é um título que os cristãos deram a Maria em homenagem e agradecimento à sua atenção constante e perpétua para com a humanidade. A mãe nunca esquece o filho, nunca abandona os filhos. Assim é o perpétuo socorro de Maria. Entre os poucos artistas conhecidos que pintaram ícones da Virgem da Paixão, os historiadores da arte sacra destacam André Rizo, de Cândia (1422-1499), da escola cretense. 


1498 - Um negociante grego roubou o ícone na ilha de Creta, desembarcou em Veneza, e trabalhou durante um ano na cidade, quando decidiu mudar para Roma. Sua intenção era vendê-lo em Roma. Durante a travessia do mar Mediterrâneo, uma violenta tempestade quase fez o navio naufragar. 

Em Roma, sabendo que seu estado de saúde não era bom abriu o coração e narrou a um amigo, sua audaciosa aventura: “Alguns anos passados, eu roubei um quadro com uma bela imagem da Madonna numa igreja de Creta! Estava atravessando uma fase infeliz nos negócios e queria uma proteção pessoal, a fim de ter coragem para me aventurar e desbravar outros horizontes. Não sou um fervoroso religioso, mas só de olhar a imagem sentia crescer uma poderosa força dentro de mim. Por isso, agora doente, no fim da vida, peço levá-la a uma igreja, e, por favor, descreva este fato apresentando as minhas desculpas. Eu lhe imploro que a imagem seja colocada numa igreja onde o povo possa visitá-la e honrá-la”. Mas, seu amigo não o fez. 


1498 - Nossa Senhora apareceu ao romano, insistindo com ele para que executasse o encargo.
Entretanto, dando ouvido aos rogos de sua esposa, o homem deu pouca importância ao pedido de Nossa Senhora. Pouco depois ele morreu, e a mulher tomada de pânico colocou o quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em uma igreja, entre a de São João Latrão e a de Santa Maria Maior. 

1499 - 27 de março - conforme relato, no tempo do papa espanhol, Alexandre VI, o ícone foi entronizado na Igreja de São Mateus, em Roma, ficando lá por mais de 300 anos. 1518 - Frei franciscano Mariano da Firenze, no guia de peregrinos em Roma – “Itinerarium Urbis Romae” escreveu assim: “há o ícone da Madonna roubado na Ilha de Cândia”. 

Mais informações, acesse o site www.mariologiapopular.blogspot.com ou  Fones: 071 3247-4972 / 3328-7461

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Ciclo de Palestras - Agosto de 2015


SERÁ QUE DEUS EXISTE?

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR 
E-mail: kdworak@hotmail.com 

Inconformado com a morte de um filho, açoitado pelas dores de inesperada separação e a impossibilidade de mudar a história dos acontecimentos, o pai de um cantor sertanejo recentemente falecido em um acidente de carro, desabafou: “Será que Deus existe?”. A desesperadora pergunta foi lançada e navegou nas ondas da rede de computadores, surpreendendo a uns, reafirmando as percepções de outros, questionando a todos. 

Longe de nós emitirmos aqui qualquer julgamento sobre a pessoa daquele entristecido e profundamente ferido pai. Mas, a pergunta fica. E certamente ele não foi o único a fazê-la em tantas outras circunstâncias da vida. 

A nossa natureza humana é curiosa. Raramente, quando tudo vai bem, recorremos a Deus. Porém, quando algo dá errado, com muito mais frequência apelamos à oração, à invocação do nome de Deus, às promessas, às intercessões, etc E estamos certos, porque o próprio Senhor convida: “Vinde a mim, vós todos que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei [...] e achareis repouso para as vossas almas” (Mt 11,28-29). 

Mas, não é justo e honesto culpar Deus por todo tipo de desastre que acontece na vida das pessoas. “Será que Deus existe?” Ou talvez devêssemos levantar outras perguntas, tomando como exemplo aquele acidente: Será que os ocupantes usavam os cintos de segurança? Será que não foi o excesso de velocidade? Será que não foi o cansaço provocado pelas exaustivas apresentações como frequentemente acontece na vida destes artistas? 

Talvez o culpado fosse o excessivo desejo de fama, do prazer em sentir e ver os fãs delirando ou desmaiando nos shows. Talvez o maior responsável fosse o acúmulo de apresentações, o medo de perder o público, a concorrência nos palcos, os contratos assumidos e as contas cada vez mais altas para pagar. Talvez maior incriminada fosse a vontade de ter mais do que o suficiente para garantir o futuro ou a pretensão de satisfazer o desejo dos pais em ver o filho como alguém grande e famoso. Ou ainda, talvez fosse isto e aquilo... 

Deus não precisa se justificar. Mas, nós sim, deveríamos assumir com mais objetividade a nossa realidade e as nossas escolhas que, entrelaçadas com as dos outros, traçam os rumos de nossas vidas.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Semana Nacional da Família

Começou ontem, (Dia 09), a Semana Nacional da Família, que vai até o dia 15 de agosto de 2015.

Em todas as paróquias do Brasil, a Semana Nacional da Família celebra e valoriza a vida matrimonial e familiar. “O amor é a nossa missão: a família plenamente viva” será o tema da Semana. O mesmo do Encontro Mundial das Famílias com o Papa, que se realizará em setembro de 2015, na Filadélfia (EUA). 

Bem sabemos que o homem e a mulher se realizam no amor que vem de Deus e que deve habitar a relação esponsal e familiar. Famílias que vivem esta qualidade do amor são plenamente vivas e, assim, dão provas que a família cristã é o melhor caminho para encontrar o verdadeiro amor, fonte inesgotável de alegria, de realização e de felicidade. 

Os sete temas das reflexões propõem ações que colocam a família no centro da sua missão, são eles: ⦁ Gerados no amor de Deus e enviados a manifestá-lo aos outros; 
⦁ Sexualidade: Dom de Deus; 
⦁ Homem e mulher construindo um matrimônio santo; 
⦁ Criando o futuro; 
⦁ Todo amor dá frutos; 
⦁ Família esperança de Deus para o mundo; 
⦁ Igreja: Mãe e Mestra. Vida e missão da Igreja Doméstica;


Festa de São Roque


Brechó da Pastoral Social

 A Pastoral Social realizou, no dia 08 de agosto, mais um brechó, que teve como objetivo obter recursos para atender às necessidades das pessoas carentes das nossas comunidades, além de estender esta ajuda às pastorais da Saúde, da Criança e do Idoso. 

Agradecemos imensamente a participação de todos que colaboram para a realização deste evento. 

A Pastoral Social continua recolhendo doações de fraldas geriátricas, tamanho G, para os idosos carentes e alimentos não perecíveis para as cestas básicas. 
Você pode colaborar também fazendo doações para o próximo brechó: roupas, sapatos (masculino, feminino e infantil) e acessórios em bom estado de conservação. 

Local da entrega: Secretaria da paróquia no horário de expediente. O material será encaminhado para a coordenação da Pastoral Social: Guadalupe e Lúcia.

sábado, 8 de agosto de 2015

Testemunhos de amor

Diversidade e unidade 

Em entrevista concedida para a PASCOM sobre os 50 anos da Paróquia Ressurreição do Senhor, o padre Carlos Kamisnki falou sobre a história daquela que ele considera uma paróquia diversificada, porém unida. Dentre outras coisas, ele destacou: a intensificação dos trabalhos realizados em São Lázaro, elevado, pelos fiéis, à categoria de santuário apesar de ser uma igreja simples; o reconhecimento pela Arquidiocese, do Santuário Nossa Senhora Educadora (ISBA), formação das comunidades locais pela entrega e dedicação dos moradores e a construção da Matriz, que ampliou o número de pastorais existentes. "Foi muito bonito ver todo esse trabalho acontecendo. As comunidades são diferentes, cada uma com seu estilo, mas são unidas entre si, e isso é o mais importante", destacou ele. 

Paróquia participativa 

A Irmã Maria Nilza Ramos (SFCM) Sociedade Filhas do Coração de Maria foi testemunha de acontecimentos importantes na história da nossa paróquia. Ela viu a Matriz ser improvisada onde hoje é a garagem do Instituto Social da Bahia - ISBA, depois passar para o então Santuário Nossa Senhora Educadora para, em seguida, ser transferida em caráter defi nitivo para a igreja onde funciona atualmente, na Av. Oceânica. Próxima à Irmã Durvalina, que auxiliava em toda a administração pastoral, Irmã Maria Nilza passou a cuidar das missas realizadas no Santuário, depois que a primeira faleceu. 

Hoje ela confessa sentir uma imensa alegria por fazer parte da paróquia que, segundo ela, destaca-se pela participação das pessoas. “A Ressurreição do Senhor é uma das paróquias mais ativas que já conheci. Tem muitas pastorais, os padres são ótimos, as missas são movimentadas e sempre cheias”, pontua ela. A Irmã também destaca a Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e as festas dos padroeiros realizadas em todas as comunidades, como momentos especiais dentro do calendário litúrgico. “Os eventos realizados na paróquia são muito bons, efi cientes, participativos”, salienta ela, que ilustra sua fala lembrando da Festa dos Anos 60 e do Encontro de Casais com Cristo.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

150 anos com o Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Ano Jubilar do Ícone e 20 anos da Novena Perpétua 

Durante todo o ano, desde o dia 27 de Maio, em várias partes do mundo, os missionários redentoristas estão celebrando o Ano Jubilar pelos 150 anos da restauração do culto público ao Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Comprova-se assim que o pedido: “Façam-na conhecida no mundo inteiro” feito em 1866, pelo Papa Pio IX, encontrou eco na Congregação e os missionários redentoristas divulgam as Glórias de Maria em todos os cantos do mundo. 

Neste ano também, a Novena Perpétua comemora 20 anos em nossa Paróquia.  Entendendo que a Casa da Mãe de Deus (1 Timóteo 3,15) não é um edifício material, mas o santuário e a habitação do Senhor, a comunidade da Paróquia Ressurreição do Senhor se alegra em celebrar o Ano Jubilar, no Centro do Perpétuo Socorro, com sua Novena Perpétua, todas as quartas-feiras às 7h e 18h.

Venha rezar conosco, venha contemplar Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ela é toda em nosso favor! Toda por nós e para nós: face, mãos, olhar e expressão!!

Editorial - Jornal de Agosto / 2015

Prezados e amados paroquianos, estimados visitantes e leitores do jornal “O Ressuscitado”. 


   Quero agradecer de todo o meu coração a todos vocês que, durante as minhas férias, rezaram por mim e minha família. O meu sincero obrigado ao Pe. André que, durante a minha ausência, assumiu os trabalhos pastorais da nossa paróquia. 

  Ele e Pe. Carlos cuidaram muito bem de tudo e de todos. Pe. Carlos está na Polônia mandando abraços e lembranças para todos e o Pe. André viajou no final de julho para passar um tempo ao lado da família, também na Polônia. Desejamos-lhe tudo de bom e que esse tempo seja um tempo renovador. 

  Amados irmãos, depois da belíssima abertura do ano jubilar nos preparando para os 50 anos da paróquia, entramos no mês de agosto e queremos mergulhar no mistério das vocações. É o próprio Cristo Jesus nos convidando a dizer-Lhe “Sim”. 

  Todas as vocações são caminhos belíssimos que nos conduzem à santidade. Cada um de nós precisa descobrir o caminho que vai lhe fazer feliz e abraçá-lo para sentir-se realizado. Só assim o Reino de Deus crescerá sempre mais no meio de nós. 

  Rezemos diante do Senhor, meus queridos, pois na oração vamos receber a luz do Cristo Ressuscitado que nos indicará o caminho a seguir. Ele nos ajudará a descobrir qual é a nossa vocação e o que devemos abraçar. 

  Durante o mês de agosto suplicaremos ao Senhor pelas vocações na Congregação dos Missionários Redentoristas, eles que há quase 50 anos servem ao povo desta paróquia: “Enviai Senhor operários para Vossa messe, pois a messe é grande e poucos são os operários!”. 

Em Cristo Ressuscitado. Pe. Cristóvão- Missionário Redentorista

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Jubileu de Ouro da Paróquia - Fundação da Paróquia de Ondina


A Paróquia Ressurreição do Senhor foi fundada em 24 de julho 1966, e é composta pelas seguintes comunidades: Coração de Jesus, Coração de Maria, Matriz, Nossa Senhora Educadora, Nossa Senhora dos Navegantes e São Lázaro e São Roque. Cada uma tem vida e atuação própria, com celebração da Eucaristia, celebração da Palavra, trabalhos pastorais e conselhos comunitários. Em momentos marcantes da vida paroquial é na Matriz que todas as demais comunidades se reúnem. 

No ato de fundação da paróquia, entre outras pessoas, estavam presentes o então Bispo Auxiliar, Dom Adriano Hipólito, Pe. Gaspar Sadock, na época vigário da Arquidiocese, Pe. Antonio Vieira, Vigário da Paróquia de Santana do Rio Vermelho e Pe. Antonio Kelmendi S.J. A Paróquia de Ondina, que recebeu o título de Mistério da Ressurreição do Senhor, com sede provisória na Casa das Filhas do Coração de Maria, teve sua primeira regência confi ada ao Pe. Canísio de Groot, tendo como auxiliar o Pe. Paulo Speckenbrink, ambos religiosos Missionários Redentoristas. Após a benção e instalação da Paróquia, alguns moradores do bairro se pronunciaram, seguidos da concelebração da Santa Missa, presidida por Pe. Canísio. Após a celebração foi realizada uma pequena recepção, com a distribuição de lembranças que traziam os seguintes dizeres: “O Amor de Cristo nos uniu numa só família”. 

A principal motivação para a criação da Paróquia de Ondina foi a necessidade de distribuir a grande extensão territorial que, até então, encontrava-se sob a responsabilidade das paróquias da Vitória e do Rio Vermelho. Com a criação de mais uma paróquia a população da região de Ondina teve uma assistência direta. As comunidades surgiram paulatinamente. Essa história você acompanhará em capítulos.

Paróquia realiza Retiro Espiritual 2015


Todos os anos a nossa Paróquia realiza um Retiro Espiritual, proporcionando aos participantes momentos maravilhosos na presença de Deus! Nesse ano, foi realizado no Santuário da Mãe Rainha (Stiep), nos dias 25 e 26 de julho, e teve como Tema: “Participar da comunidade é viver em comum” (At 2, 42-47). 

Dom Tiago Neves da Silva, monge beneditino, com maestria orientou quanto ao essencial para que uma comunidade viva com amor e alegria a unidade: buscar momentos de intimidade com Deus através da Palavra. 

Ela fecunda e gera frutos para a vida em comum, conduz à oração e fortalece a fé!

Confira mais fotos aqui.

“Laudato Si” A nova encíclica de Francisco

A nova encíclica do Papa Francisco, intitulada “‘Laudato Si’, sobre o cuidado da casa comum”, lida com questões relacionadas à ecologia e ao pleno desenvolvimento do gênero humano. O Papa inicia recordando o “Cântico das Criaturas” de São Francisco de Assis para fazer uma chamada urgente para um novo diálogo sobre como se está construindo o futuro do planeta. Necessita-se de talentos e do envolvimento de todos – afirma – para reparar os danos causados pelo abuso humano na criação de Deus. E a conclui com duas orações, uma oferecida para ser compartilhada com todos os que creem em “um Deus criador onipotente”, e a outra para os que professam a fé em Jesus Cristo, que rima com refrão “Laudato Si”, que abre e fecha a encíclica. 

O documento aborda a questão ambiental a partir de uma abordagem pastoral, tendo em conta diferentes aspectos. O Papa também proclama que a destruição da natureza é um pecado mortal moderno, não sem consequências graves. Porque Deus perdoa sempre, os homens às vezes, mas a terra não perdoa nunca. Ainda assim, salienta que nem tudo está perdido, porque os seres humanos, capazes de degradarse até o extremo, podem também superar-se, voltar a eleger o bem e regenerar-se. Na verdade, o texto é um compêndio extraordinário da doutrina social da Igreja sobre os grandes desafi os que a humanidade enfrenta hoje e no futuro. A Encíclica como sopro de esperança. A nova Encíclica é uma lufada de vento fresco e despoluído. Forte no seu conteúdo profético, ela resgata uma postura verdadeiramente cristã na relação entre o ser humano e o meio ambiente, navegando com destemor através das correntes que se apoderaram do discurso ambiental para promover suas próprias causas panteístas, marxistas ou anti-humanistas. 

O Papa esclarece, denuncia e propõe, sempre com coragem, aquilo que deve ser a postura de um verdadeiro cristão frente ao desequilíbrio ambiental que vivemos. Os princípios para a leitura da Encíclica. O primeiro princípio é o de que o Papa, embora seja para servir à humanidade inteira, é católico. Portanto, quando ele fala, está falando a partir da mesma Cátedra estabelecida por Jesus para Pedro há dois mil anos. Não se deve esperar, nem é necessário, que ele reafi rme em cada documento toda a doutrina católica – ela é pressuposta nos seus escritos. Isto parece tão óbvio que tem uma tendência a ser esquecido. Segundo princípio: o da “criaturalidade”. O resgate da criaturalidade, em matéria ambiental, traz consigo o resgate do verdadeiro humanismo, que reconhece a centralidade do ser humano, imagem e semelhança de Deus, frente à criação, que encontra nele o seu sentido último: não em qualquer projeto humano, mas naquele que tem sua medida em Jesus, conforme explica a Gaudium et Spes, 22. O último princípio, o terceiro, é o da responsabilidade. Somos cristãos, estamos no mundo, agir no mundo nos obriga. Não há desculpas para não agirmos, na questão ambiental, em razão dos grandes desvios existentes na militância ambientalista. 

A verdadeira preocupação ambiental é amor à criação, não desculpa para promover aborto, raiva à espécie humana, desagregação familiar e combate à propriedade privada dos meios de produção. E a única maneira de fazermos o que devemos é nos engajando nesta luta, fi rme e destemidamente, com os fundamentos que o Papa agora nos dá. Confira os textos:





 Fonte: ZENIT.org - Ivan de Vargas e Paulo V. Jacobina