"Deus ande em tua frente para te conduzir, atrás de ti para te proteger e ao teu lado para te acompanhar!"


Você é o visitante de nº

Paróquia Ressurreição do Senhor

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Ícone de N Sra: 150 anos - INDULGÊNCIA PLENÁRIA AOS DEVOTOS DO ÍCONE DO AMOR

Pe. José Grzywacz, CSsR 

O Papa Francisco concedeu indulgência plenária como parte das celebrações do ano jubilar. Ela está disponível para todos os que fizerem uma peregrinação, entre 27 de junho de 2015 e 27 de junho de 2016, para a Igreja de Santo Afonso, em Roma ou a qualquer igreja redentorista, em qualquer parte do mundo, para venerar o ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. 

Condições para a obtenção de uma indulgência plenária: 

1. Celebração do sacramento da reconciliação 
2. Comunhão eucarística 
3. Oração segundo as intenções do Santo Padre 
4. Visita concluída com a recitação do Pai Nosso, do Credo e também orações a nossa Mãe Santíssima. 

As pessoas que por motivo de doença, idade avançada ou alguma outra razão não podem fazer a peregrinação, também poderão obter a indulgência plenária. Fazem isto, associando-se espiritualmente com as celebrações jubilares e peregrinações, num espírito de arrependimento por seus pecados e com o intuito de atender às condições habituais. Devem procurar a misericórdia de Deus, oferecendo os seus sofrimentos diante de um pequeno ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. 

O que é uma Indulgência? 

Na doutrina católica, indulgência (do latim indulgentia, que provém de indulgeo, "para ser gentil") é o perdão fora dos sacramentos, total ou parcial, "da pena temporal devida, para a justiça de Deus, pelos pecados que foram perdoados", ou seja, do mal causado como consequência do pecado já perdoado. "A remissão é concedida pela Igreja Católica no exercício do poder das chaves, por meio da aplicação dos superabundantes méritos de Cristo e dos santos, por algum motivo justo e razoável".  
O Catecismo da Igreja Católica, (número 1471), diz que a indulgência (plenária ou parcial) é a remissão (graça) da pena temporal devida pelos pecados já perdoados – o fiel recebe devidamente disposto, em certas condições, pela ação da Igreja, que distribui e aplica, por sua autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos. A indulgência plenária só pode ser recebida uma vez por dia. Quem não se confessa só pode receber a indulgência parcial. Todos os fiéis podem adquirir indulgências para si mesmos ou aplicá-las aos defuntos. Na Bula Misericordiae Vultus, o Papa Francisco assim defi ne a indulgência: “é experimentar a santidade da Igreja que participa em todos os benefícios da redenção de Cristo, para que o perdão se estenda até às últimas consequências aonde chega o amor de Deus” (MV, 22). 

E-mail:jozefgrzywacz@hotmail.com 
Fones: 071 3247-4972 / 3328-7461

Nenhum comentário:

Postar um comentário