"Deus ande em tua frente para te conduzir, atrás de ti para te proteger e ao teu lado para te acompanhar!"


Você é o visitante de nº

Paróquia Ressurreição do Senhor

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Res publica x república das bananas

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR 
E-mail: kdworak@hotmail.com 

Comemoramos este mês o 127º aniversário da Proclamação da República do Brasil (15/11/1889). Diversos foram os elementos que puseram fim à soberania do imperador D. Pedro II e levaram à proclamação do novo regime político. Entre estes elementos podem ser destacados: a perda progressiva do prestigio da monarquia brasileira; a crise econômica ligada principalmente a muitos encargos e a dívida externa provocada pela Guerra do Paraguai; a questão abolicionista, o fi m do tráfico negreiro e a Lei Áurea; a luta pela independência religiosa da Igreja Católica frente à prática de dependência mantida pelo Império (questão religiosa); a questão militar; e a circulação de novas ideias republicanas e positivistas. Deste modo, o Brasil passou a implantar, daquele momento histórico em diante, uma forma de governo em que o chefe do Estado seria eleito pelos cidadãos ou pelos seus representantes, a fi m de cuidar do interesse de todos os brasileiros. 

Tal forma de governo não deixa de ser um desafio, tanto para o próprio chefe do Estado como para os representantes do povo. A res publica (coisa pública), cuja última e mais alta finalidade é servir ao bem-estar de todos os cidadãos, sempre correu o risco de se diluir em função dos privilégios próprios, esquecendo-se dos demais cidadãos ou fazendo deles objetos de manipulação política. 

Em contraposição ao conceito de res publica, cunhou-se também outro, pejorativo: a república de bananas. Ele é normalmente aplicado a um país pequeno, economicamente dependente do capital exterior, e onde, de maneira generalizada, há um desrespeito pelas leis e pelo interesse público, e onde reina caos e corrupção. 

A comemoração do 127º aniversário da Proclamação da República do Brasil não pode ser simplesmente mais um feriado nacional, mas antes de tudo, um convite a todos os que habitam a Terra Brasilis, a fazer esforços redobrados para que o Brasil, de fato “Seja o nosso País triunfante, livre terra de livres irmãos!”, e que jamais lhe seja aplicado o pejorativo conceito de república de bananas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário